• pt
  • en

  • Henrique Pavão


    “ Now I Became Aged”, 2018
    Video HD (p/b, silencioso, contínuo)
    Cortesia do artista



    “ Now I Became Aged”, 2018
    Video HD (p/b, silencioso, contínuo)
    Cortesia do artista



    antes e depois de antes, 2017
    Asfalto, madeira, circuito de vídeo em tempo real, vídeo com 15 canais, instalação, loop
    Dimensões variáveis
    Vista da Instalação ‘antes e depois de antes' Culturgest Porto. Portugal
    Cortesia do artista




    antes e depois de antes, 2017
    Asfalto, madeira, circuito de vídeo em tempo real, vídeo com 15 canais, instalação, loop
    Dimensões variáveis
    Vista da Instalação ‘antes e depois de antes' Culturgest Porto. Portugal
    Cortesia do artista




    antes e depois de antes, 2017
    Asfalto, madeira, circuito de vídeo em tempo real, vídeo com 15 canais, instalação, loop
    Dimensões variáveis
    Vista da Instalação ‘antes e depois de antes' Culturgest Porto. Portugal
    Cortesia do artista



    Absence Reminders, 2017
    Impressão jacto s/papel, obsidiana, ferro.
    20x27cm
    Vista da Instalação (detalhe), ‘anozero'17', Coimbra
    Cortesia do artista




    Absence Reminders, 2017
    Impressão jacto s/papel, obsidiana, ferro.
    20x27cm
    Vista da Instalação (detalhe), ‘anozero'17', Coimbra
    Cortesia do artista




    Absence Reminders, 2017
    Impressão jacto s/papel, obsidiana, ferro.
    20x27cm
    Vista da Instalação (detalhe), ‘anozero'17', Coimbra
    Cortesia do artista




    Romantic ruins and ruins in reverse, 2016
    Asfalto, gesso.
    Dimensões variáveis
    Cortesia do artista




    3.77 Seconds, 2015-2017
    Impressão jacto de tinta s/papel.
    160x125cm
    Cortesia do artista




    Untitled, 2014
    Impressão jacto de tinta s/papel.
    70 x 110 cm/ 59 x 42 cm
    Cortesia do artista



    Unfinished Past, 2016
    HD video (P/B, som, 9’53”)
    Cortesia do artista



    Henrique Pavão nasceu em Lisboa, Portugal, em 1991.

    Em 2013, concluiu a sua licenciatura em escultura na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, ano em que expõe individualmente, pela primeira vez com Transform the Space Using the Space, no Sótão, em Lisboa. Entre 2014 e 2016, o artista foi bolseiro pela Fundação Calouste Gulbenkian, tendo frequentado e concluído o mestrado em Artes Plásticas, na Malmö Art Academy, onde estudou sob a orientação do artista dinamarquês Joachim Koester. Por ocasião do seu final de mestrado, Henrique Pavão expôs Fallen Between Cracks, na KHM Gallery (Malmö), que lhe valeu o prémio Edstrandska Stiftelsens Stipendium. Nesse mesmo ano, foi nomeado para o prémio Novo Banco Revelação, da Fundação de Serralves, e ganhou uma bolsa da Royal Academy of Arts, Estocolmo.

    Já em Lisboa, expõe Wherever I am not is the Place where I am myself, na Appleton Square, em 2017.

    Participou em exposições colectivas das quais se destacam Edstrandska Stiftelsens Stipendiater, KHM Gallery (Malmö), em 2016, Grant Holder Show, no The Royal Academy of Arts, em Estocolmo. Em 2017 participou na “AnoZero’17”, Bienal de Coimbra e inaugurou a sua primeira exposição institucional antes e depois de antes, na Culturgest Porto, com curadoria de Delfim Sardo.

    Em Maio deste ano, Pavão inaugurou a exposição individual, Now I Became Aged, na UMA LULIK__, com curadoria de Sérgio Mah.

    Em Junho de 2019, apresentará uma exposição individual na galeria SE8, Londres, a convite dos seus directores, Nicolas de Oliveira e Nicola Oxley, autores de Installation Art e Installation Art in the New Millennium: Empire of the Senses (Thames & Hudson, 1994 e 2003, respectivamente), obras seminais no campo da instalação como prática artística.

    Henrique Pavão vive e trabalha em Lisboa e é representado pela UMA LULIK__ .




    Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.