• pt
  • en

  • Charbel-joseph H. Boutros


    GEOGRAPHY AND IMMATERIALITY 
    aquecedores, aquecimento, 2015.

    são ligados 9 aquecedores de forma a transpor a temperatura de Beirute para o espaço da exposição em Zurique.



    A4
    um A4 é queimado, transformado em cinzas e depois em pigmentos, 
todos os pigmentos procedentes do A4 são depois aplicados manualmente na parede, originando uma nova paisagem mais ampla. 



    DAYS UNDER THEIR OWN SUN.
    Papel de calendário, sol.
    cada dia do calendário é exposto ao seu próprio sol. o dia 2 de janeiro sob o sol do Monte Líbano. 22 de março sob o sol de Paris. 23 de junho sob o sol de Maastricht. 



    Souffles d’Artistes
    Balão, ar expirado pelo artista e a namorada, 2015.

    Souf es d’artistes é uma alusão ao trabalho do vanguardista P. Manzoni (1933 – 1963) com o mesmo título, embora aqui de forma plural. O balão foi colocado no chão, enchido com o ar do artista e da sua namorada, a artista Stephanie Saade – tornando a sua divisão impossível. 



    ...
    gesso, quadro, impressão, 2016.
    Em 2016, um dos quadros de uma exposição individual do artista “I guess that dreams are always there”, encontra-se enterrado noutra exposição de 2016. 



    Charbel-joseph H. Boutros nasceu no Monte Líbano, em 1981.
    No seu trabalho, a invisibilidade é carregada de camadas de intimidade, geografia e história traduzindo-se em linhas poéticas que se estendem para lá das especulações e realismos. Nascido durante a guerra Libanesa, a sua produção artística não está vinculada a uma reflexão histórica ou política, antes assombrada pela referida reflexão política e histórica.

     

    H. Boutros foi artista residente no Pavillon Neuflize OBC, Palais de Tokyo, Paris e investigador na Jan van Eyck Academie, Maastricht, Holanda.

     

    O seu trabalho foi apresentado internacionalmente na 12ª Bienal Internacional de Istambul; Palais de Tokyo e Centre Pompidou-Metz (exposição futura), Paris, França; CCS Bard College, Nova Iorque, Estados Unidos da América; 3ª Bienal da Bahia, Salvador, Brasil;  1ª Bienal Yinchuan, China;  104, Paris, França; MAM-BA Museu de Arte Moderna, Salvador, Brasil; CCA Warsaw, Polónia; Morsbroich Museum, Cologne-Leverkusen, Alemanha; LAM, Museum of Modern and Contemporary Art, Lilles, França; Maraya Art Center, Sharjah, Emirados Árabes Unidos; Marres, Maastricht, Holanda; Fons Welters Gallery, Amesterdão, Holanda;  Barjeel Art Foundation, Sharjah, Emirados Árabes Unidos; Beirut Art Center, Líbano.

     

    A sua instalação permanente inaugurada no verão de 2016, ‘Suer d’Etoile’, realizada em colaboração com a bailarina Maria-Agnes Gillot, está em exposição no Palais de Tokyo, Paris.

     

    O seu trabalho encontra-se em colecções tais como a CNAP, Paris e a Barjeel Art Foundation, Sharjah.

     

    Charbel-joseph H. Boutros vive e trabalha entre Beirute e Paris e é representado pelas galerias Grey Noise, Dubai e Jaqueline Martins, São Paulo.




    Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.